Gestão FIFO e LIFO: entenda as diferenças na logística

gestão fifo e lifo

FIFO e LIFO são duas metodologias importantes na gestão logística, que colaboram com a busca constante pela otimização e melhoria dos processos operacionais. 

Ou seja, são fundamentais para a empresa alcançar objetivos como o aumento da qualidade dos serviços, a diminuição dos prazos de entrega e a redução de custos.

Esses resultados são possíveis porque esses métodos controlam a armazenagem e a movimentação de materiais de maneira muito mais eficiente.

Para saber mais sobre os dois procedimentos, acompanhe este conteúdo na íntegra.

Abaixo, detalharemos as funcionalidades de cada um e as diferenças também, de modo que você possa avaliar a opção mais adequada ao seu negócio. 

O que significa FIFO?

O que significa FIFO

A expressão FIFO significa “First In, First Out”, também conhecida no Brasil como PEPS (Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair).

Uma gestão FIFO funciona da seguinte forma: os produtos armazenados primeiro serão os primeiros a sair para comercialização ou produção.

O objetivo é oferecer uma rotatividade para itens com prazo de validade mais curtos, proporcionando maior segurança na conservação e qualidade do produto. 

Ou seja, costuma ser uma metodologia logística muito aceita por supermercados e indústrias de alimentos e bebidas que possuem perecíveis, com prazos de validade curtos.

Atualmente, é o método mais usado. Ele é indicado para a maioria dos produtos existentes nos almoxarifados, conforme o livro Estoques e Armazenagem, de Bruno Paoleschi. 

Dependendo do produto e da empresa, se o sistema FIFO não for implementado, a consequência pode ser observada com a inutilização de mercadorias e prejuízo financeiro. 

Desse modo, fica mais fácil ver que o método tem como princípio de funcionamento o controle de datas de validade.

Vale ressaltar que é fundamental aliar o sistema com um estudo prévio de capacidade de armazenagem, de modo a conseguir um estoque organizado e de fácil movimentação. 

As vantagens do FIFO

A partir do conceito que cita que os produtos mais antigos deverão ser expedidos primeiro, temos as seguintes vantagens no FIFO:

  • Melhor controle de estoque;
  • Assertividade no manuseio das mercadorias;
  • Rotação mais dinâmica;
  • Redução de risco de perda de produto por deterioração ou validade.

Consequentemente, é uma estratégia interessante para tornar a operação mais rápida, inclusive, na movimentação de cargas e prevenção da necessidade de grandes estoques.

O que é LIFO?

O que é LIFO

Já o significado da sigla LIFO é “Last In, First Out” ou UEPS (Último que Entra, Primeiro a Sair).

Neste caso, as mercadorias que estiverem menos tempo armazenadas são as primeiras a serem retiradas do estoque para venda ou produção

Nessa situação, a rotatividade dos itens estocados atende aquelas empresas com produtos sem prazo de validade ou com prazos mais longos e conforme a sazonalidade.

Por esse motivo, a implantação do sistema deve considerar as questões estratégicas de vendas, relacionando-as com as compras. 

Assim, será possível estocar alguns produtos de modo planejado para aproveitar picos de procura, como campanhas e datas festivas, tais quais o Natal e a Black Friday

Entre os melhores exemplos de LIFO, podemos citar indústrias que trabalham com confecções, celulares e vídeo games.

As vantagens do LIFO

Escoando primeiro os produtos que entraram mais recentemente no armazém ou centro de distribuição, qual a vantagem que a empresa tem? Confira algumas:

  • Facilita a gestão dos produtos sem necessidade de mudanças de localização;
  • Menos riscos de danificar as mercadorias no manuseio;
  • Mais flexibilidade no controle e gestão do estoque.

Isso explica porque a indústria de eletrônicos e as dark stores são ótimos exemplos de empresas que aplicam o método LIFO na operação.

Sistema FIFO e LIFO: as diferenças 

FIFO e LIFO são métodos que devem ser utilizados a partir dos tipos de produtos, sendo essa a principal diferença entre eles:

  • FIFO: produtos perecíveis ou com prazos de validade curtos;
  • LIFO: prazo de validade maior e visando vendas sazonais.

Portanto, é importante compreender que as duas estratégias podem ser boas escolhas, desde que se considere os requisitos para a aplicação de cada uma delas.

Um ótimo exemplo é o agronegócio, que tem produtos com prazo de validade mais longos, de modo que o método LIFO também acaba sendo uma opção atrativa.

Ao usar o método correto, as empresas conseguem:

  • Melhorar a gestão do estoque;
  • Reduzir desperdícios;
  • Diminuir custos;
  • Evitar prejuízos.

E não é somente isto! FIFO e LIFO podem ser determinantes na eficiência da operação porque possibilitam o uso de estruturas de armazenagem adequadas para cada método.

Desse modo, cria-se um ciclo positivo na operação, considerando:

  1. Demanda do produto no mercado;
  2. Infraestrutura disponível na empresa;
  3. Estratégia para alavancar as vendas.

Nesse sentido, é importante destacar mais uma opção de armazenamento, o sistema FEFO, cujo significado é “First Expire, First Out”. 

FIFO, FEFO e LIFO?

O FEFO é diferente do FIFO e do LIFO. Para facilitar a compreensão, considere que na língua portuguesa é o PVPS (Primeiro a Vencer, Primeiro a Sair).

Ou seja, independente da ordem em que foram estocadas, as mercadorias a sair são aquelas que estão próximas à data de vencimento.

Dessa forma, se torna uma opção ainda mais interessante para empresas que possuem um controle rígido da data de validade dos armazenados.

No setor logístico, é comum ouvir comentários de que o FEFO é uma variação do FIFO. Mas, vale atentar-se a um fato importante:

No FEFO, o foco é a validade e não a data em que as mercadorias foram compradas!

Portanto, uma boa maneira de entender esse método é considerando os itens com prazo de validade curto e alto giro, como os medicamentos termolábeis e produtos hospitalares.

Os sistemas de armazenagem para FIFO e LIFO

sistemas de armazenagem para FIFO e LIFO

Os métodos FIFO e LIFO podem ser empregados em diversos sistemas de armazenagem, contudo, considere os 3 principais.

1 – Porta-Paletes

O Porta-Paletes é a estrutura de armazenagem mais usada e possui várias vantagens, como a oportunidade de verticalizar o estoque. É ideal para o método FIFO. 

Inclusive, Carlos Menchik, do Ser Logístico, diz que “o Porta-Paletes Dinâmico permite fazer um FIFO mecânico, assim não acontece de vencer produto em estoque”.

2 – Drive-in e Drive-through

O Drive-in é uma estrutura recomendada para o sistema LIFO, de modo que a instalação seja feita próxima à parede ou delimitando a área de armazenagem.

Já o Drive-through é a melhor indicação para o sistema FIFO, com a recomendação de que a estrutura seja instalada em áreas livres, com acesso em ambos os lados.

Veja esse case de sucesso: Drive-through da ISMA no ramo alimentício.

3 – Flow Rack

Na estrutura Flow Rack, a armazenagem é manual, na operação FIFO de empresas que trabalham com pequenos volumes e grandes rotatividades, na qual o picking é necessário.

Para entender mais sobre os sistemas de armazenagem a partir das estruturas, equipamentos e aplicações, baixe esse e-book da ISMA gratuitamente:

Clique e confira o e-book sobre Sistemas de Armazenagem!

A ISMA é a sua parceira logística

Em resumo, empregar a gestão FIFO ou LIFO dependerá do tipo de produto, infraestrutura e capacidade de armazenamento da empresa. 

A ISMA reúne experiência na fabricação, instalação e inspeção dos principais sistemas de armazenagem.

Se quiser saber mais sobre as estruturas mais indicadas para seu negócio, entre em contato com nossos especialistas, que oferecerão uma consultoria gratuita:

Solicite o serviço de inspeção de sistemas de armazenagem!