Ruptura de estoque: saiba como evitar

Imagine o cenário: um cliente decide comprar um produto da sua empresa pela primeira vez. Porém, quando vai efetivar o negócio, há a falta do produto para a venda. Péssimo, não? Essa é uma explicação simples, mas realista, sobre o que é a ruptura de estoque.

Ruptura de estoque é a falta de produto de estoque para atender a demanda. Essa situação gera um efeito bola de neve. Mais do que não efetivar a venda, a sua empresa também perde credibilidade no mercado. 

Afinal, se o cliente fica insatisfeito, passa a não ter interesse em negociar com você no futuro. Pior do que isso, pode disseminar a experiência negativa. 

Um estudo publicado na Disruptiva mostrou dados relevantes. Quando a ruptura de estoque acontece:

  • 11% dos consumidores desistem da compra,
  • 32% deles procuram o produto em outra loja e
  • 17% adiam a compra sem a certeza de que vão mesmo comprar o item.

A mesma fonte ainda menciona que: “na média, isso representa de 5% a 10% de queda nas vendas de um estabelecimento”. Dadas as proporções desse efeito para o seu negócio, a falha logística deve ser evitada a todo custo.

Para tanto, recomenda-se a disponibilidade de produtos como elemento-chave para a conquista da satisfação do cliente. Assim como para o ganho ou manutenção da credibilidade.

Os tipos de ruptura de estoque

Tipos de ruptura de estoque

A verdade é que não existe uma única situação possível que acarreta a ruptura de estoque. Durante as operações, as empresas podem ter diferentes entraves, a depender do tipo de estoque. Entender cada uma delas é essencial para, mais tarde, encontrar a melhor solução para esse problema.

Ruptura de compra

Esse é o tipo de ruptura de estoque mais conhecido. Acontece quando um produto acaba e não há mais dele para oferecer aos clientes. Também pode acontecer com a falta de determinadas cores, tipos, formatos ou versões dos itens a serem comercializados.

Ruptura de cadastro

A ruptura de cadastro, como o nome sugere, é quando um produto está à venda, porém não foi cadastrado ou está sem o preço. Ou seja, ainda que exista o estoque, a falta de informação atualizada cria uma barreira que impede a venda e piora a experiência do usuário.

Ruptura de exposição

Esse é um problema muito mais focado na gestão de estoque. Essa ruptura acontece quando os produtos expostos nas prateleiras são esgotados, porém há mais deles no estoque. Por isso, a importância do inventário.

O erro, que configura venda perdida, está na reposição pública dos itens-consumidor. Conforme a CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes e Lojistas), no comércio, essa falha acontece mais comumente às segundas-feiras.

Ruptura fantasma

A ruptura fantasma é determinada quando há produtos nas prateleiras, só que os clientes não conseguem encontrá-los. Geralmente, a falha está na organização do PDV. Também pode ser quando há estoque, mas os próprios colaboradores não encontram, devido à falta de eficiência no setor.

Então, como evitar a ruptura de estoque, em qualquer um dos tipos? Veja algumas dicas abaixo.

Aprenda a evitar a ruptura de estoque

Temos a definição do que é ruptura de estoque. O próximo passo é descobrir o que fazer para evitar que essa falha logística aconteça. Para isso, temos que considerar que cada empresa tem as próprias particularidades, de modo que não há resposta única para todas.

Ainda assim, existem dicas que fazem parte da gestão de estoque eficiente e são determinantes para minimizar/evitar o problema.

Conheça a demanda e descubra os produtos de alto giro

Essa conta é proporcional: quanto mais se conhece do comportamento dos consumidores, maior a possibilidade de ser assertivo na mitigação das rupturas de estoque. Afinal, é possível descobrir quais os produtos preferidos e, inclusive, as épocas de mais vendas.

O conhecimento acerca do público também cria o efeito bola de neve, só que positivo. Assim, permite planejar melhor as compras, manter o estoque sempre atualizado e, inclusive, melhorar a experiência do consumidor.

Crie um bom relacionamento com os fornecedores

A próxima dica tem relação com os fornecedores. O bom relacionamento é importante não apenas na negociação de preços, mas também nos prazos de entrega. E se a sua empresa tem os relatórios sobre as demandas, a chance de sucesso com o estoque é ainda maior.

A relação entre demanda e fornecedor permite um planejamento logístico mais estratégico. Sendo assim, a recomendação é sempre pesquisar e validar a escolha desses parceiros, como aqueles que têm a certificação ISO 9001.

Treine os colaboradores para prevenir a ruptura

A capacitação das equipes é importante em várias extensões, especialmente, na boa gestão de estoque. Vai além de saber usar um software para atualizar as informações. Também é valiosa para tornar os processos mais organizados e eficientes, como na separação de pedidos.

O uso de metodologias pode ser uma opção interessante. Um ótimo exemplo vem da Curva ABC, muito conhecida no setor. Ela classifica os produtos, determinando os mais importantes. Portanto, essa ordem de prioridade serve para direcionar os esforços na busca de melhores resultados.

Faça a boa gestão do estoque do início ao fim

A gestão de estoque envolve todas as etapas do setor, da entrada à saída das mercadorias. Com tecnologias, é possível ter um controle exato e em tempo real sobre quantidades, tipos e outras informações. Inclusive, auxilia no planejamento das compras e na criação de promoções.

Do mesmo modo, o gerenciamento assertivo possibilita o uso de diferentes tipos de estoque para não haver ruptura. Por exemplo, o estoque de segurança (produtos extras para lidar com imprevistos) e o estoque sazonal (produtos a mais para determinadas demandas).

Tenha uma armazenagem eficiente na sua empresa

Armazenagem eficiente na empresa

Ainda como estratégia eficiente para prevenir a ruptura de estoque, tenha cuidado com a armazenagem dos produtos. E não é apenas sobre os cuidados no manuseio ou estocagem, mas na escolha do melhor sistema para alocar os itens.

Sabia que existem estruturas mais indicadas para cada tipo de necessidade? Do Porta-Paletes aos Mezaninos, a melhor escolha vai ser aquela que mais se adequa ao objetivo do seu negócio. Temos um e-book gratuito que explica tudo sobre isso:

  • O que é armazenagem,
  • Quais os tipos de armazenagem,
  • As particularidades de cada armazenagem e
  • Os produtos ISMA para uma armazenagem eficiente.

Baixe o material no seu e-mail para entender como a escolha da armazenagem impacta diretamente na prevenção da ruptura de estoque.

Clique e baixe o e-book sobre sistemas de armazenagem!

Baixar e-book de Sistemas de Armazenagem

O cálculo para saber o índice da ruptura de estoque

Antes de terminar esse conteúdo, vale lembrar que existe um cálculo para medir o índice de ruptura de estoque. Aliás, existem vários cálculos para tratar dessa mesma temática, mas um deles é o mais comum e simples. Anote aí a fórmula:

Índice de Ruptura = (Itens sem estoque / Produtos na loja) x 100

Exemplo: uma loja possui um total de 30 produtos e 7 deles estão indisponíveis. Então:

  • Índice de Ruptura = (7 / 30) x 100.
  • Logo, 0,233 x 100.
  • Chegando ao resultado de 23,3%.

Além disso, a conta também é usada para facilitar a compreensão sobre o giro de cada produto. Do mesmo jeito que serve para validar a sazonalidade dos produtos, permitindo o melhor planejando em datas especiais.

Se você gostou desse conteúdo e quer acompanhar outros materiais relacionados a gestão de estoque e toda logística interna, inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter. Basta informar o nome e o e-mail para receber informativos na sua caixa de entrada.