Metas para 2024: Saiba como melhorar a eficiência logística

metas para 2024 saiba como melhorar a eficiencia logistica

As metas para 2024 servem como parâmetros para validar as operações industriais, geralmente, visando o crescimento de clientes, vendas e mercados. Para tal, melhorar a eficiência logística é uma decisão estratégica, baseada em dados, que faz todo sentido. Entenda!

A logística industrial integra vários setores da empresa. Desse modo, um dos principais objetivos é o de entregar um produto no menor tempo possível. Como consequência, melhora-se a relação com o cliente, que passa a ter uma melhor experiência de compra.

Esse percurso vai da cadeia de suprimentos até a distribuição, e considerar somente a entrega rápida não é o mais resolutivo para o problema. O mais recomendável é que se busque por uma operação eficiente por completo, sendo assertivo em cada uma das etapas logísticas.  

Por que ter uma logística eficiente? Esses são alguns dos benefícios:

  • Ganho de competitividade;
  • Qualidade nos processos;
  • Redução de custos;
  • Melhor experiência do cliente.

A ideia deste blog é trazer aqueles detalhes que fazem diferença na busca por uma melhor produtividade no setor logístico. Apesar de existirem outros fatores a serem analisados, essa lista é uma curadoria para conquistar as novas metas sendo mais estratégico neste ano.

 

O que fazer para ter uma melhor eficiência logística?

Com a alta competitividade do mercado, especialmente após a pandemia, as empresas precisam se destacar ao atender as expectativas dos consumidores. Por isso, a busca por uma melhor eficiência logística é uma das metas de 2024 para a maioria dos negócios.

Afinal, esse setor envolve diversas áreas: do recebimento de mercadorias até o atendimento ao cliente. Todas podem ser beneficiadas com o uso das novas tecnologias e de processos mais otimizados, como veremos a partir do próximo tópico.

 

O gerenciamento de aquisições

Esse é um conceito que está no pensamento e na voz de muitos gestores com as seguintes palavras: “entregar um produto de qualidade pelo menor custo”. Apesar de parecer a pergunta de milhões, o primeiro passo da solução é simples: o gerenciamento de aquisição.

>> Leia também: Entenda a diferença entre compras técnicas e compras standard

Ou seja, com base no giro de estoque, a gestão de compras deve ser melhorada porque afeta todas as etapas seguintes ao longo da cadeia de suprimentos. Além disso, é sobre recursos físicos, os materiais; assim como os humanos, que se relacionam com a mão de obra especializada.

Quando os decisores possuem dados e fazem um estudo analítico sobre essa atividade, conseguem economizar com gastos e esforços desnecessários. Logo, cria-se a chance de investir de maneira mais estratégica em outras áreas, seja com recursos ou pessoas.

 

O armazenamento de mercadorias

Um erro comum é o de estipular metas para o próximo ano apenas com foco em novos clientes. No entanto, em toda indústria, a “casa arrumada” é de uma simplicidade que gera resultados significativos no negócio, também para o consumidor, mas, inclusive, do lado de dentro.

Além da questão financeira, a otimização tem a ver também com a eliminação de retrabalhos e agilidade em processos como dos inventários. E não é só isso: permite expandir o espaço disponível para estocagem dos itens, aumentando a capacidade para novas aquisições.

Mas, qual é o melhor tipo de armazenagem para o meu negócio? Essa é uma dúvida que muitos gestores têm, mesmo aqueles com mais experiência na logística. Aliás, será que a atual estrutura da empresa é adequada para a finalidade dela? Temos um e-book que explica tudo:

Clique e baixe o e-book sobre sistemas de armazenagem!

A automatização de atividades

Abaixo, vamos falar da tecnologia. No entanto, antes disso, é legal observar que automatizar a gestão e as atividades é uma forma simples de melhorar processos. Já notou que inovar também pode ser criar ações e melhorar o que já existe? Simples e efetivo!

Na logística, a automação é vista no uso de equipamentos que permitem um deslocamento mais rápido e mais seguro das mercadorias. É o caso das empilhadeiras, por exemplo. O importante é validar como essas melhorias serão representativas para o setor e todo negócio.

Usando o mesmo exemplo dos maquinários, considere as práticas sustentáveis. É positivo para operadores e para consumidores, cada vez mais atentos ao tema.

 

A tecnologia integradora

Atualmente, é inegável o poder da tecnologia em benefício dos processos mais eficientes. Na logística, o uso de WMS é de alta relevância, sendo um software de gestão que integra todas as áreas do setor. Por ele, dá para acompanhar cada etapa e até antecipar problemas.

A Deloitte fez uma pesquisa e mostrou que 75% dos líderes da indústria usam essa opção para otimizar tarefas dentro das suas unidades. A lógica também auxilia em atividades manuais, como o inventário, permitindo mais assertividade na contagem dos produtos.

Além disso, a grande vantagem está no fluxo de informações que permite melhores tomadas de decisões. Se mais vendas foram feitas do que normalmente acontece, talvez seja um bom momento para comprar novas mercadorias para estocar, por exemplo.

 

A capacitação das equipes

O fato é que melhorar a eficiência logística não deve ser uma das metas para 2024 apenas para os gestores. O ideal é os colaboradores entenderem e irem em busca dos mesmos resultados. Uma forma de incentivo são os cursos de capacitação, por exemplo.

Se em um primeiro momento devem estar aptos e treinados para executar suas tarefas diárias, por outro, também é interessante buscar a melhoria contínua. Afinal, processos, máquinas e tarefas se modernizam cada vez mais rapidamente, como vimos ao longo deste blog.

A capacitação de operadores de empilhadeiras, por exemplo, é recomendada para garantir a segurança dos próprios colaboradores, assim como das estruturas. Afinal, em outro artigo, vimos que “as estruturas porta-paletes são extremamente seguras, desde que usadas corretamente”.

 

A mensuração de resultados

Ao falar de um setor mais eficiente, com pessoas e tecnologia atuando em conjunto, uma consequência passa a ser a de medir resultados. O ideal começa lá atrás, com a criação de planos realistas e metas condizentes. Agora, alguns indicadores podem validar os objetivos.

O que não está funcionando deve ser observado mais de perto, com olhos clínicos. Sem contar com que: aquilo que está indo bem pode servir de motivação para colaboradores e equipes. Por isso, os KPIs, que são esses indicadores de desempenho, são interessantes.

Uma dica muito interessante é a de pensar e projetar KPIs simples que possam ser identificados com facilidade por todos os envolvidos. Por exemplo, desempenho das entregas, produtos com mais tempo no estoque e o índice de reclamações dos destinatários.

 

A eficiência logística no ganho de competitividade

A eficiência logística no ganho de competitividade

Depois dessa leitura, fica mais fácil entender que a busca por uma melhor eficiência logística deve estar entre as metas para 2024 da empresa. Afinal, é sobre redução de custos, mas também sobre o incentivo a uma melhor experiência do cliente.

Aliás, esses assuntos – logística e cliente – estão cada vez mais interligados. Tanto é que são mencionados há anos em estudos acadêmicos. Recentemente, a pesquisa “a logística dentro da organização”, do João Paulo Melo Maurício, trouxe a seguinte conclusão:

“Com o crescimento contínuo da competitividade e exigência do mercado, as empresas que se destacam são as que buscam não apenas apresentar um simples produto, mas propor uma experiência aos seus clientes”.

No nosso blog tem outros materiais relacionados a logística e você pode acompanhá-los aqui.

Solicite um orçamento de sistemas de armazenagem com a ISMA!